BREVE ESBOÇO - ADVOCACIA 4.0


Ainda sou novo para falar desse assunto com propriedade, mas é um assunto que me agrada bastante, até pela minha característica de inovação, nunca gostei muito de rotina, padrões a seguir e tradicionalismo, sempre fui um pouco inovador. E justamente por isso e por conhecerem esse meu lado é que me sugeriram, o pessoal da Verbo Jurídico, que eu fizesse a pós graduação com eles sobre a Advocacia 4.0, Pós esta que começou em março deste ano, há exatamente umas cinco semanas.



Sendo assim, pelo pouco de aulas e do que conheço sobre o tema, posso dizer que a Advocacia 4.0 nada mais é a inovação tecnológica voltada ao direito e aos advogados. Diante do atual avanço do mercado de trabalho o qual se adapta cada vez mais com novas tecnologias, a Advocacia 4.0 é justamente a adaptação da tecnologia dentro do trabalho do advogado. É a inovação do Direito.

A título de curiosidade, tivemos quatro Revoluções até hoje: A primeira foi a revolução foi a mecânica, a segunda a elétrica, a terceira a de automação e a quarta a inteligência artificial e tecnológica.



Como característica da Advocacia 4.0, dentre várias, a principal é a disposição em inovar e se reinventar, quando a sociedade muda, o Direito precisa mudar e o advogado precisa se adaptar a estas mudanças. Então acredito que as principais sejam, estar disposto em inovar. Ser audacioso, audaz ... pensar fora da caixinha. Como diz o Prof. Marcílio Drumond, lá da Pós, “O SUCESSO DO DIREITO, ESTA FORA DO DIREITO”.



Para adequar seu escritório com a Advocacia 4.0, a primeira coisa é colocar a mão no bolso, pois todos sabemos que equipamentos eletrônicos não são baratos e o escritório precisa estar bem equipado. Tirando isso o principal é se especializar, seja com cursos, leituras e praticando na utilização de novos sistemas, por exemplo, quando da implantação do processo eletrônico, todos os funcionários do Judiciário passaram por um período de treinamento, e os advogados? Tiveram que correr atrás e aprender como usar o sistema, outro exemplo relacionado a escritório, em escritório que utilizam determinado sistema interno, uma das primeiras coisas que fazem com um novo colaborador é treinar o mesmo em relação ao sistema. Estar sempre antenado nas mudanças tecnológicas e adapta-las ao seu escritório.



Agora mesmo, tendo em vista a pandemia e o Fórum fechado, quando voltar a funcionar, muito provável que tenhamos de fazer audiência por vídeo. Os escritórios de advocacia terão de estar preparados para essa situação, por exemplo, com um celular bom que consiga fazer chamadas, uma internet boa e veloz, um local onde possa gravar os vídeos, importante essa questão, por exemplo, você não pode fazer uma audiência em vídeo com pessoas passando, com barulhos, em um ambiente carregado, tudo tem de ser adaptado e instalado de acordo. Para a Advocacia 4.0 também é necessário a utilização de um software em seu escritório para controle de processos, diligências, audiências, prazos, arquivos, dentre outros e extremamente importante o escritório dispor de um site, uma página no Facebook e até no Instagram, sempre atualizada e antenada nas mudanças.




Não é necessário ter um escritório físico, durante anos eu trabalhei em São Paulo e meu escritório era no meu apartamento, quando tinha de atender clientes, utilizava das salas da AASP, Fórum e há escritórios que alugam salas para advogados participarem de reuniões presenciais. Além disso, hoje em dia você consegue conversar com um cliente por vídeos chamadas, seja pelo Skype, WhatsApp e fechar contratos, sendo os documentos enviados por e-mail e assim por diante. Por exemplo, eu tenho alguns clientes que nunca vi pessoalmente, fiz o contato on-line e toda documentação foi enviada por e-mail, e só fui conhecer alguns pessoalmente quando da audiência.

Quanto às inovações que adotei em meu escritório, poderia dizer que me adaptei aos softwares existentes, e poderia aqui citar alguns, CP PRO, Radarlex, SAJ ADV e outros, eu uso o Theo da AASP, mas vale lembrar ainda que há escritórios que utilizavam sistemas próprios desenvolvidos exclusivamente pela TI do escritório.



Com a Advocacia 4.0, há resultados na prática, tais como o escritório ficar mais organizado e centralizado, tudo ao alcance de um clique, o atendimento fica muito mais rápido e mais globalizado, consigo atender pessoas de outros Estados sem sair dentro do escritório ou de casa. As gestões dos processos ficaram mais organizadas sem necessidade de ter um espaço físico para guardar os mesmos, sem contar que com apenas um clique você consegue encontrar um documento, ou processo ou doutrinas e jurisprudências. A prospecção de clientes também, pois com um vídeo no Instagram ou Youtube por exemplo, falando de determinado assunto, você consegue ser visto em minutos até em outros Países e as pessoas então lhe procuram para conversar e acabam lhe contratando.




As redes sociais são extremamente importantes, através delas o Advogado deixa de ser um profissional do boca a boca e se projeta publicamente para todo público das redes, se tornando conhecido, especializando-se em determinado assunto e com isso sendo muito mais procurado, lembrando sempre de respeitar o Código de Ética da OAB, o qual na minha opinião poderia ser mais flexibilizado no que tange à publicidade dos advogados, que por sinal é meio sem controle e fiscalização nenhuma hoje em dia.

Mas vale ressaltar sempre que os advogados precisam ser discretos, por exemplo, em nenhum vídeo meu você verá qualquer logotipo do meu escritório, ou verá eu falando onde trabalho, vendendo interposição de ações, pedindo para me procurarem, então acredito que a discrição seja o melhor caminho, mostrar que você sabe do assunto é o suficiente, sem promoção do seu escritório.

Por fim finalizo sinalizando de que a Advocacia 4.0, vai muito além de todas essas adaptações, é o estudo correlacionado de todos os ramos do Direito voltado para o mundo digital, a adaptação de normas e leis já existentes correlacionadas com toda a tecnologia e avanços atuais, sejam em contratos digitais, compras pela Internet, cyber crimes, dentre tantos outros assuntos que demandam a experiência do advogado e vale sempre lembrar que a Internet não é terra sem lei.


Por Rogério Gimenez.

0 visualização