ENTREVISTA COM GRAZIELE – ADVOGADA E FÃ DO VIDA DE ADVOGADO


Graziele é a nossa entrevista da semana, tem 38 anos é amdreense (Santo André/SP) por nascimento e sulsancaetanense (São Caetano do Sul/SP) de coração, mora em São Caetano do Sul desde pequena, e atualmente exerce o “sacerdócio” como diz, de advogada.

Quando tinha 3 anos de idade diz ter infernizado sua mãe para lhe alfabetizar, pois queria muito saber ler e escrever, porque tinha o sonho de ser escritora. Aos 7 anos de idade, porém, disse para a sua mãe que queria ser escritora e advogada. “Sempre tive grande incentivo da minha família para estudar e o gosto por matérias como português, filosofia, economia e política deram o ponta pé inicial para que eu cursasse a faculdade de direito”.

Nossa querida advogada não se arrepende de ter cursado Direito, sendo que “o curso de direito faz com que nos tornemos cidadãos mais conscientes e críticos. E eu adoro advogar, mesmo com os percalços da nossa profissão”.

Graziele não fez estágio quando estava na faculdade, pois trabalhava em um Banco e não tinha interesse em diminuir seu salário. Considera que tal decisão lhe custou um pouco caro mais tarde, pois teve de começar do zero, já formada e com carteira da ordem.

Fiquei sabendo que já foi assessora de Político, Graziele confirma que foi na verdade chefe de gabinete de um vereador de São Caetano do Sul durante 2 anos, sendo que quando seu ex chefe chegou a presidência da Câmara, a nomeou como diretora legislativa. Nesta função, ela tinha uma imensa responsabilidade, pois além de chefiar 3 departamentos, tinha de cuidar das sessões legislativas, dar assessoria jurídica nas mesmas, emitir pareceres dos projetos de lei, dentre outras atribuições inerentes ao cargo.


Ficou no meio político por 4 anos e segundo Graziele “ocupar os cargos supramencionados foi gratificante, pois sei como funciona toda a máquina administrativa e política em detalhes. Cresci muito como profissional e como pessoa, aprendi a lidar com todos os tipos de pessoas diferentes, desde as mais simples, as mais poderosas, e isto é muito útil para a minha vida de advogada”. “Sai da administração pública, pois cargos comissionados tem prazo de validade, são efêmeros e também porque queria me sentir mais advogada. Queria conhecer o "mundo do contencioso".

Atualmente nossa querida entrevistada, trabalha como autônoma e correspondente jurídica na Cidade de São Caetano do Sul, sendo sua especialidade as áreas empresarial, consumidor, trabalhista e cível. É pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil e Direito do Trabalho e Processo do Trabalho, em que pese sua matéria preferida na Faculdade era Direito penal e a que menos gostava, direito empresarial.

Perguntei como descobriu a página Vida de Advogado? “Bom, tenho uma amiga que sempre compartilhava o conteúdo da página, ache