O QUE NÃO CABE PARA NÓS, ADVOGADOS.


Como advogado há um tempo, posso dizer já ter passado por diversas situações e experiências, tanto é verdade que me rendem histórias e enredos diversos para brindar vocês com os canais do Vida de Advogado.

Quando lidamos com falta de educação de clientes, relevamos e entendemos algumas condutas exaradas diante de um desespero, um problema não resolvido, uma causa não ganha, a morosidade do processo e a falta de compreensão destes para conosco.

Porém, o que não me desce e acredito que há muitos também, é a falta de educação de alguns colegas de profissão para com outros. E usarei, como sempre algo em que vivi e me deixou um tanto quanto, digamos que irritado, mas não chateado, pois aprendi a não deixar mais que coisas desse tipo me atinjam.

Bom, vamos lá, fiz contato com uma advogada para propor um acordo de um caso trabalhista do escritório em que trabalho. Acordo não realizado, história previamente encerrada. Pois bem, meu erro: ter entrado em contato através do meu celular (whatsApp) particular e não do escritório, porém, me lembro de ter me identificado como do escritório fulano de tal.

Passados meses essa advogada entra em contato comigo novamente, me indagando sobre uma nova proposta e que como meu cliente concedeu entrevista dizendo que sua empresa não sofreu com a pandemia, no seu entendimento, que ele teria condições de pagar o cliente dela o qual estava desempregado. Então, eu expliquei que não sabia de nenhuma entrevista, a colega então, em um tom totalmente sarcástico achou um absurdo ele sendo meu cliente eu não saber da entrevista concedida.

Ato contínuo, e na péssima mania de me justificar, quando na verdade deveria ter mandado a colega passear e a ter colocado no lugar dela, eu fui educado, ao contrário dela e então expliquei que não sabia de referida entrevista pois o cliente era um cliente do escritório para o qual eu trabalhava e não um cliente particular meu. Ela continuou arrogante como se eu tivesse a obrigação de saber. Encerrei a conversa passando meu e-mail do escritório e o celular de lá também e expliquei que o número o qual ela estava falando era meu contato particular.

Agora vejamos, o fato de uma pessoa dar uma entrevista dizendo que não sofreu com a pandemia, não significa que ela esteja com dinheiro sobrando para realizar acordos. Segundo lugar, eu como advogado, não tenho a obrigação de acompanhar todos os passos de um cliente, ainda mais quando esse cliente não é meu, mas sim do escritório do qual eu sou, digamos que empregado, se assim posso considerar. E mais e talvez o importante, somos colegas de profissão, somos advogados, no mínimo devemos ter educação e respeito uns pelos outros e a obrigação de distinguir o lado profissional do pessoal e sermos deverás imparciais, pois uma hora estamos deste lado e em outra podemos estar do outro.


A arrogância não é bem vinda em nossa profissão e o que não cabe para os advogados é justamente isso, ser arrogante, intolerante, mal educado e faltar com o respeito, seja com os clientes, seja com os próprios colegas de profissão.



0 visualização