SER ADVOGADO . . .


Ser advogado é uma tarefa árdua, algo que os fracos não conseguem permanecer por muito tempo. Nós precisamos ter jogo de cintura, saber lidar com diversas situações diárias, estarmos sempre atualizados e ter muita paciência.


Sem advogado hoje não é mais como era antigamente, o Direito se modernizou, a linguagem mudou, o tradicionalismo ainda existe e acredito irá demorar para desaparecer totalmente, mas aos poucos caminhamos para isso.


O Direito, conforme a sociedade muda, ele precisa também mudar e se adaptar a novas situações que surgem e tudo surge de uma maneira muito rápida, e que às vezes pelo menos eu sinto não ser possível acompanhar tanta carga de informações.


Temos um vasto mundo de conhecimento ao clicar de um botão, ao deslizar os dedos sob uma tela. Antes, necessário nos deslocarmos até uma biblioteca ou livraria, adquirir livros riquíssimos de conteúdo e extremamente caros, hoje nós temos todos eles, muitas vezes de graça, porém, nos falta o principal, dinheiro? Não, tempo, por mais que nos esforçamos para ter esse tempo, muitas vezes, e falo por mim, o considero insuficiente.


É muita informação para absorver, somos bombardeados o dia inteiro com novos acontecimentos os quais aparecem por vezes do outro lado do mundo, mas que impactam em muito no nosso dia a dia.


Sem contar tudo isso, ainda temos de estar sempre preparados para nossos clientes, os quais muitas vezes não compreendem a morosidade e os erros cometidos pelo Judiciário e acabam por descontar em nós que nada temos na verdade a ver com isso e entra então aquela dose de paciência que falei no começo da matéria.


Mas também temos os colegas advogados, mas nem todos claro, aqueles os quais não distinguem o trabalho do advogado do advogado em si e esquecem que estamos representando o cliente e neste quesito temos de ser o melhor possível, então, a boa educação é sempre bem vinda e principalmente no aspecto de distinguir o advogado profissional do advogado como pessoa e o principal, somos colegas de profissão, estamos no mesmo barquinho, ou seja, respeito mútuo.


Particularmente eu gosto de ser advogado e de estar no fantástico mundo da advocacia, passar por todos os percalços faz parte de um crescimento, o qual é contínuo e cresce a cada dia e parece não chegar mais ao fim, e, talvez, nem queira, pois eu amo ser advogado. E vocês?


Por Rogério Gimenez

58 visualizações

© 2 0 2 0   p o r   L u c a s   G i m e n e z